3 minutos de leitura

A inteligência tributária no Brasil

Se você já ouviu falar que o Brasil tem um dos sistemas tributários mais complexos do mundo, pode imaginar como as coisas nesse aspecto funcionam. Entretanto, nosso país também é considerado um dos mais evoluídos com relação à inteligência tributária.

Estamos caminhando para um futuro cada vez mais digitalizado e cabe a todos os setores se adaptarem para que seja possível acompanhar essas transformações.

Vamos entender melhor o que é a inteligência tributária no Brasil e o que podemos esperar da tecnologia no setor tributário.

  • O sistema tributário brasileiro
  • Os avanços tecnológicos
  • A importância da digitalização

O sistema tributário brasileiro

Pode-se dizer que o sistema tributário brasileiro consiste no recolhimento de tributos para que seja subsidiadas as ações de melhorias do país para a população. 

Estes são divididos em três categorias diferentes: os tributos federais, estaduais e municipais. Hoje, existe um total de 92 tipos de taxas, impostos, contribuições e empréstimos diferentes em todo o território nacional.

Para realizar a distribuição de cada arrecadação, a estrutura governamental que o Brasil dispõe é: União, Unidades Federativas, Municípios e o Distrito Federal. 

Tentar entender o que são todos esses tributos pode ser complexo, ter um controle sobre eles pode ser ainda mais. Por isso, há algum tempo, o Brasil passa por uma digitalização para que os processos sejam otimizados e que haja uma maximização da eficiência, aplicando um sistema inteligente em todos os seus processos de negócios.

Os avanços tecnológicos

Aqui, em nosso blog, já falamos sobre alguns dos sistemas digitais que são usados para lidar com o recolhimento de tributos. Inclusive, fizemos uma postagem super completa sobre o SPED, que vamos falar um pouco agora, mas você pode ler a matéria completa aqui.

O Sitema Público de Escrituração Digital (SPED)

Em 2008, o Brasil começou a dar os primeiros passos em direção à digitalização de processos tributários com a criação de um sistema que informatiza a relação entre o fisco e o contribuinte.

Sendo assim, as informações que antes eram recolhidas das empresas por meio de auditorias presenciais e físicas, com a criação do SPED, tornaram-se digitais e integradas.

Pensando em neste momento tão informatizado em que vivemos, é um pouco difícil pensar em como essa ferramenta pode ser tão revolucionária, mas precisamos abrir um pouco mais o nosso campo de visão.

Com um sistema tributário tão complexo como o nosso, ter um sistema como o SPED tem trazido bons resultados, como a redução da evasão fiscal, que caiu de 45 para 20% desde sua implementação.

Tecnologia na nuvem

Inteligência Artificial, Machine Learning, Blockchain e 5G são as promessas para um futuro ainda mais promissor da digitalização dos processos tributários.

Essas tecnologias são suportadas em nuvem e representam grandes avanços no cenário global geral, por permitirem que novas maneiras de trabalho sejam realizadas e possibilitam um equilíbrio entre o que é bom para empresas e clientes, trazendo para o universo da nossa conversa, o fisco e o contribuinte.

O Brasil realmente está saindo a frente de outros países, como a Europa, que está começando a automatizar o fisco, por exemplo. Estamos construindo a era da Inteligência Tributária por aqui, trazendo otimização e redução de impostos de acordo com a forma correta legislação, reduzindo, também, o contencioso tributário.

A importância da digitalização

Uma das maiores preocupações no que tange à informatização de processos tributários é que muitas vezes, em meio a tantos impostos e taxas, o brasileiro acaba não tendo a completa expertise no assunto e acaba pagando mais do que deveria.

A inteligência tributária, por sua vez, possibilita que a legislação seja seguida de maneira correta, otimizando o pagamento de impostos e gerando maior lucratividade, uma vez que as áreas fiscais se tornam mais estratégicas e operacionais.

Com uma tecnologia integrada que permite o cruzamento e a comparação das informações que entram e saem dos sistemas das empresas para que os relatórios sejam enviados corretamente aos governos, reduzindo drasticamente os litígios e as avaliações, além de permitir um olhar crítico sobre a otimização fiscal existente na legislação.

Como se preparar para as transformações tecnológicas

Se hoje o Brasil já é referência mundial de tecnologia em algumas áreas, especialmente na tributária, podemos dizer que estamos caminhando para uma posição tecnológica de ainda mais destaque e, por isso, é preciso ter um local seguro para confiar.

Com a Dome a sua empresa pode contar.

Para oferecer os melhores serviços e as melhores consultorias para os nossos clientes, estamos sempre atentos às mais recentes novidades do mercado financeiro, tributário, jurídico e contábil.

Quer saber se sua empresa está em conformidade com as exigências do fisco brasileiro? Entre em contato conosco e fale com um de nossos especialistas. Analisamos caso a caso e oferecemos as soluções mais ágeis e otimizadas para cada empresa.

Compartilhe:

Também recomendamos essas leituras para você:

DIRBI: o que é a nova obrigação acessória e quem deve entregar?

IVA: Como será o imposto dual brasileiro?

Imposto Territorial Rural – ITR: o que é e como funciona

Conteúdo relevante, confiável e estratégico em primeira mão no seu e-mail!

Suas informações foram enviadas com sucesso.