3 minutos de leitura

A importância dos Indicadores na Gestão Empresarial

Definir o futuro de uma empresa é uma das maiores responsabilidades dos empresários atualmente.

É preciso assumir riscos para se manter competitivo no mercado, entretanto essas decisões devem ser baseadas em informações da própria empresa, que partem em sua maioria, das demonstrações e informações contábeis.

O primeiro passo para isso, é identificar os indicadores e analisar esses dados, de forma a tomar decisões assertivas e seguras, visando garantir a continuidade do negócio a curto, médio e longo prazo.

Indicadores contábeis, o que são?

Os indicadores contábeis consistem em avaliações quantitativas das informações geradas pela contabilidade, objetivando apontar a real situação da empresa, considerando os resultados alcançados em determinado período.

É através destes índices que os gestores apoiam a tomada de decisão e definem as estratégias futuras da empresa, pensando na expansão e continuidade do negócio, além de gerar informações pertinentes aos sócios e investidores.

Principais indicadores na gestão empresarial

Índices de Liquidez

A Liquidez pode ser definida como a capacidade com que um ativo tem de se transformar em dinheiro. Para se mensurar a liquidez de uma empresa, é necessário medir a capacidade que ela tem de arcar com as suas obrigações no curto prazo. Os índices de liquidez são divididos entre: liquidez corrente, seca, imediata e geral.

  1. Liquidez Corrente

Demonstra a capacidade de cumprimento das obrigações imediatas. Para isso utiliza-se os valores presentes no ativo circulante e no passivo circulante.

  1. Liquidez Seca

Neste índice são retirados os valores provenientes dos estoques, tendo em vista que eles ainda não são valores disponíveis para a empresa, necessitando da venda deles para se tornar disponibilidade. Assim, o objetivo dele, da mesma forma que o índice de liquidez corrente é a capacidade de pagamento das obrigações imediatas

  1. Liquidez Imediata

Este índice considera apenas o que realmente é dinheiro na organização em comparação ao passivo circulante. Tem por objetivo mostrar a capacidade de pagamento da empresa com os recursos disponíveis em caixa e equivalentes de caixa.

  1. Liquidez Geral

Compara a situação da empresa em curto e longo prazo. Este índice permite verificar se a empresa estaria oi teria problemas financeiros em cumprir suas obrigações.

Índice de Endividamento

Indica o grau de endividamento do negócio, comparando o total de ativos com o total de passivos, permitindo visualizar a participação de capital de terceiros que a empresa possui para o andamento de suas atividades. Em análise a este índice, quanto menor for a participação de terceiros, maior será a facilidade de crédito.

Índice de Rentabilidade

É a métrica que mensura se a operação que está sendo realizada gera um bom retorno financeiro em comparação ao que foi investido.

Margem Bruta

Demonstra o percentual de lucro gerado por cada atividade desenvolvida pelo negócio. É um indicador importante, pois permite avaliar individualmente cada atividade e definir estratégias de operação para melhorar os resultados obtidos.

Margem Líquida

Após deduzidas todas as despesas e os tributos incidentes sobre o lucro da empresa, a margem líquida indica quanto o negócio gera de lucro com base nas vendas realizadas.

Retorno sobre o Patrimônio

Mede quanto de lucro uma empresa gera comparando ao investimento realizado pelos sócios ou acionistas.

Portanto, os indicadores mais usuais são os relacionados acima, entretanto cabe a gestão da empresa avaliar e definir estrategicamente quais são os indicadores apropriados para a sua realidade.

Por fim, é notório a importância das demonstrações e das informações geradas pela contabilidade de uma empresa. É através da análise dessas informações que o gestor decidirá de forma segura e assertiva as estratégias futuras, buscando o sucesso da empresa e o retorno dela para seus investidores. Para isso, conte com a expertise da Dome Consultoria e Contabilidade na geração de informações precisas, tempestivas e relevantes. Entre em contato com os nossos especialistas e tire suas dúvidas.

Compartilhe:

Também recomendamos essas leituras para você:

DIRBI: o que é a nova obrigação acessória e quem deve entregar?

IVA: Como será o imposto dual brasileiro?

Imposto Territorial Rural – ITR: o que é e como funciona

Conteúdo relevante, confiável e estratégico em primeira mão no seu e-mail!

Suas informações foram enviadas com sucesso.